PFC no Brasil

 

PROCEDIMENTOS E DOCUMENTOS PARA

PFC NO BRASIL

 

 

O PFC é uma disciplina realizada de forma semelhante a um estágio obrigatório, necessária para integralizar o currículo formal do curso do aluno. Porém, legalmente, um PFC não é um estágio, onde, por exemplo, há uma limitação de até 40 horas semanais de jornada de trabalho. Isso significa, por exemplo, que um aluno pode ter um vínculo empregatício com alguma empresa (seja qual for a jornada semanal acordada) e mesmo assim fazer o PFC. Do lado da empresa/empregadora, ela deixa de estar sujeita à Lei de Estágio caso seja do seu interesse.

 

O PFC está vinculado à disciplina DAS5511 do curso (Projeto de Fim de Curso), tendo como fase sugerida a 10ª. do curso, após se ter cursado todas as demais disciplinas do curso. O requisito obrigatório para a matrícula na disciplina é de já ter cumprido um mínimo de 3 mil horas/aula e ter realizado o estágio obrigatório nas fases anteriores.

 

O tipo de PFC e tipo de tarefas a serem desenvolvidas devem ser relacionadas com a natureza do curso de Engenharia de Controle e Automação da UFSC.

 

O PFC pode ser feito tanto numa universidade (tipicamente em laboratórios de pesquisa) como numa empresa/indústria, de qualquer setor, no Brasil ou no Exterior.

 

O PFC deve ter uma carga mínima de 450 horas.

 

O curso permite que um aluno possa estar matriculado em até 2 (duas) outras disciplinas do curso e assim fazer o PFC em paralelo a elas.

 

Todas as defesas de PFC são realizadas numa mesma semana, necessariamente. Portanto, mesmo que um aluno eventualmente termine seu PFC antes da semana das defesas, terá que esperar para defender seu PFC com os demais da turma.

 

Todo o acompanhamento do desenrolar técnico-pedagógico do PFC ao longo do semestre bem como a organização das entregas de documentos e das defesas é de responsabilidade da Coordenação de PFCs.

 

A grande maioria dos informes e recebimentos de relatórios técnicos dos alunos referentes ao PFC é feita via Moodle.

 

Observações importantes sobre os trâmites do PFC:

­       O tema de PFC tem que ser previamente discutido e acordado com o orientador do DAS (ou UFSC), analisando-se basicamente o alinhamento do trabalho com as áreas do curso, a complexidade do trabalho, o tempo disponível, e se tem nível para ser um PFC.

­       Após isso, o aluno deve registrar o pré-projeto no Moodle e o orientador da UFSC deve oficialmente aprová-lo.

­       Tanto o pré-projeto como os relatórios executivos mensais têm prazos rígidos para serem entregues, sob pena de cancelamento da defesa do PFC do aluno.

­       O orientador da UFSC, por sua vez, deve acompanhar e orientar o aluno ao longo do PFC, assim como o supervisor do local de estágio.

 

Observações gerais:

­       Um aluno que já esteja empregado em uma empresa pode se matricular em PFC e utilizar o resultado do trabalho a ser realizado nesta para equivaler ao PFC. Neste caso, o aluno não deve proceder como se fosse realizar um estágio, ou seja, ele não deve cadastrar o estágio no SIARE (passos 3 a 12 abaixo). Portanto, o aluno não terá um TCE. Em contraponto, o aluno deve entregar à Coordenação de Estágios os seguintes documentos tão logo se matricule na disciplina:

·       Uma cópia do contrato de trabalho do aluno com a empresa, comprovando o vínculo empregatício. Se não for possível, entregar uma fotocópia das paginas da carteira de trabalho onde constem as informações do trabalho e da empresa.

·       Declaração da empresa (usualmente da chefia) ao Coordenador de Estágio, confirmando estar ciente do tipo de trabalho a ser efetuado pelo aluno e a sua compatibilidade com um PFC (ver http://automacao.ufsc.br/c/1/9), além de explicitar sua ciência de que o aluno terá um professor orientador na UFSC.

·       Declaração do professor da UFSC afirmando ser o orientador do PFC do aluno (ver

http://www.das.ufsc.br/media/uploads/Declaracao-ProfessorOrientador-PFC-CLT.docx).

 

­       O fato do aluno ter vínculo com alguma empresa não tira dele a obrigatoriedade de seguir todas as regras “operacionais” da disciplina, descritas na página do Moodle.

 

­       Existe a possibilidade de um PFC ser realizado na própria empresa do aluno (por exemplo, quando se trata de uma spin-off ou empresa recém-incubada). Neste caso, o trâmite burocrático deve ser exatamente o mesmo que um PFC ‘normal’. Porém, como não haverá a figura do orientador na empresa (que seria o próprio aluno ou algum dos seus sócios), formalmente este deverá tramitar como se fosse feito na UFSC, com o professor do DAS ou UFSC acumulando as duas funções. Casos especiais deverão ser tratados caso a caso, junto com a coordenadoria de estágios e PFC do ECA.

 

 

É comum, quando um aluno faz seu PFC no próprio DAS ou CTC, que o supervisor no local do estágio seja, portanto, o próprio professor da UFSC. Neste caso, para as situações abaixo mencionadas, o número de vias de documentos necessários deve ser diminuído de um (1). Assim sendo, esse professor assinará os documentos nos dois papéis.

 

 

COMO PROCEDER ?

1-    Aluno se matricula na disciplina DAS5511 (a menos que esteja com conceito I nela).

2-    Aluno procura local para PFC, define tarefas e duração do estágio (datas de início e fim), e um orientador na UFSC (professor do DAS, do ECA, ou outro professor da UFSC que atue na área relacionada às tarefas / PFC).

3-    Caso o local de estágio não seja a UFSC, o aluno verifica se este já é cadastrado / conveniado na UFSC. Para tal, o aluno pode se informar na própria empresa ou consultar o DIP (Departamento de Integração Acadêmica e Profissional) através do telefone 3721-6312, fornecendo o CNPJ da empresa. Se a empresa/instituição não for conveniada, ela deve estabelecer o convênio, preenchendo o Modelo Convênio UFSC – Concedente [preferencialmente] ou Modelo Convênio UFSC – AGI – Concedente), disponível no site (http://portal.estagios.ufsc.br/estagio/formularios/. Posteriormente, a empresa deve entregar duas vias do modelo ao DIP (2. andar da reitoria).

4-    Aluno procura por professor orientador no DAS ou UFSC. Isso pode ser feito pessoalmente ou por e-mail, junto a um professor o mais afim possível à(s) área(s) de trabalho do estágio.

5-    Já se tendo o convênio ou ele sido estabelecido, aluno submete proposta de estágio no site do SIARE (http://portal.estagios.ufsc.br/siare/), na opção siare-estudante.

6-    Aluno preenche proposta e sistema (SIARE) gera o TCE (Termo de Compromisso de Estágio). O Programa de Atividades de Estágio (PAE) deverá ser composto por um parágrafo geral descrevendo o objetivo geral e por itens com as macro atividades previstas de serem realizadas para se atingir o objetivo.

7-    TCE é disponibilizado (via SIARE) ao Coordenador de Estágios.

8-    Coordenador de Estágios analisa TCE (inclusive observando o número de créditos totais matriculados na fase), aprovando (como está), pedindo retificações (volta ao Passo 5, com o aluno fazendo as devidas modificações) ou mesmo podendo reprovar.

9-    Se TCE ok, Coordenador de Estágios entra no SIARE e homologa o TCE.

10-              Com a homologação dada, o SIARE libera a opção para o aluno imprimir o TCE.

11-  Aluno deve imprimir 5 vias (via SIARE) e assiná-las. Após pegar a assinatura do supervisor no local do estágio e do professor orientador da UFSC, deve pegar a assinatura do Coordenador de Estágios. Finalmente, pegar a do diretor do DIP (2. andar da reitoria).

12-  Uma via do TCE assinado fica com o aluno, e as demais devem ser entregues – pelo aluno – da seguinte forma: uma para a Coordenação de Estágios, uma para o professor orientador da UFSC, uma para o DIP, e a outra para o supervisor do local do estágio.

13-    Coordenador de Estágios entra no SIARE e dá o TCE como recebido. A partir deste momento o PFC fica regular e oficializado.

 

Observações:

-       O seguro de saúde pode ser um já eventualmente contratado em empresas como UNIMED, etc.

-       Nos casos em que a UFSC não for a fonte pagadora da bolsa ou do seguro (ou seja, o estágio não terá nenhum vínculo com a universidade), o campo de assinatura do Diretor do DIP não aparece no documento depois de gerado. Nesse caso, dispensa-se gerar uma via para o DIP, pois não haverá necessidade de tal assinatura.

-       Há casos onde o aluno só consegue fazer e/ou enviar as 4 vias do TCE depois que já está no local do estágio, em outra cidade. O SIARE aceita um prazo limite de 30 dias após o início oficial do estágio (datado no TCE) para homologar o estágio. Portanto, assim que possível, dentro deste prazo, o aluno deve enviar o TCE pelo correio ao Coordenador de Estágios.

 

 

O QUE ENTREGAR AO FINAL ?

1.        Aluno deve disponibilizar no Moodle a sua proposta de anteprojeto, que corresponde ao plano básico sobre o que será o PFC.

2.        Professor orientador do PFC do aluno na UFSC avaliza ou não o anteprojeto no Moodle, com o aluno na sequência fazendo as devidas alterações e reenviando o anteprojeto até que ele seja finalmente aprovado pelo Professor orientador.

3.        Uma (1) vez por mês, ao longo de todo o semestre, o aluno deve disponibilizar no Moodle um relatório executivo de atividades.

4.        Professor orientador do PFC do aluno na UFSC avaliza ou não o relatório executivo, com o aluno na sequência fazendo as devidas alterações e reenviando o relatório executivo até que ele seja finalmente aprovado pelo Professor orientador.

5.        Ao final do PFC o aluno deve escrever uma Monografia. A monografia deve estar em formato A4, podendo ser escrita em português, inglês ou espanhol. Pode ser impressa frente e verso e deve ser encadernada (modelo espiral). A impressão é em preto & branco, podendo ser colorida (total ou apenas de algumas páginas ou figuras) a critério do aluno e do orientador. Deve-se usar o adequado template de monografia (http://automacao.ufsc.br/, sublink “Procedimentos”, item “Modelo de PFC”).

6.        Aluno entrega ao supervisor no local do estágio a ficha de avaliação (podendo ser escrita em português, inglês ou espanhol), onde o supervisor atribui uma nota ao final e assina. Deve-se usar o adequado template de ficha de avaliação (http://automacao.ufsc.br/, sublink “Procedimentos”, item “Modelo Avaliação de PFC”).

7.        Além da ficha de avaliação, é obrigatório que o supervisor local escreva uma “carta de avaliação” do aluno caso ele não possa estar presente na defesa do PFC. Tanto a ficha de avaliação como a carta de avaliação devem ser trazidas em formulário LACRADO pelo próprio aluno e entregues em mãos ao Coordenador de PFC. A ausência desses documentos de avaliação impede que seja realizada a defesa, dada a nota final do PFC e, como consequência, que ele se forme. Caso o supervisor prefira, ele pode enviar a ficha de avaliação e o formulário escaneados, por email, ao Coordenador de PFC.

8.        Aluno envia ao seu orientador da UFSC uma versão da Monografia e ambos a revisam / refinam até que seja considerada adequada. Verificar que há uma data limite de envio das monografias, tanto para o orientador analisá-la preliminarmente e avalizá-la, como para se enviar a versão final à coordenação de PFCs.

9.        Aluno envia ao Coordenador de PFC uma (1) cópia digital (pdf) e quatro (4) impressas da versão final da Monografia, encadernadas e assinadas pelo orientador na UFSC, juntamente com a ficha de avaliação original e a carta de avaliação. Até esse momento o aluno não inclui a página da Banca Examinadora (pág. 3 do modelo) junto com as cópias. Essa página deverá ser incluída apenas na versão definitiva (oficial), após as defesas das bancas, e posteriormente encaminhada em cópia digital (formato pdf) à coordenadoria de PFC para armazenamento. O nome do arquivo deve ser no seguinte formato: ‘PFC-<turma>-<nome do aluno>’. Por exemplo, PFC-20131-MariadoCarmo.

10.    Uma vez impressa a versão final, ela precisa ter a assinatura do orientador na UFSC (ou seja, do aval dele). Sem isso ela simplesmente não é enviada aos avaliadores e consequentemente não há defesa do PFC pelo aluno !

11.    A Ficha e a Carta de avaliação ficam em posse do Coordenador de PFC, enquanto que as cópias impressas da monografia vão para os 2 alunos avaliadores, para o professor orientador da UFSC e para o professor avaliador da UFSC. A versão digital fica para os arquivos do DAS.

12.    Coordenador de PFC seleciona um professor do DAS ou UFSC para avaliar o PFC assim como os alunos avaliadores.

13.    Aluno envia ao seu orientador da UFSC uma versão dos slides (recomenda-se fortemente que seja em formato ppt ou pdf, e com tamanho de fonte 24 para os textos gerais) de apresentação do PFC e ambos a revisam / refinam até que seja considerada adequada.

14.    Aluno ensaia a apresentação, podendo verificar a possibilidade de uma prévia com o seu orientador. Não há um ensaio geral prévio para todos alunos. O tempo total referente a cada defesa é de uma (1) hora, sendo 25 minutos para a apresentação dos slides do PFC pelo aluno. Considere na confecção da apresentação, como média genérica, que se gastam de 2 a 3 minutos por slide.

15.    Realização das defesas de PFC.

16.    Coordenador de PFC toma as 5 avaliações sobre o monografia e a defesa (dos 2 alunos, dos 2 orientadores e do professor avaliador) e, junto com a sua, dá a nota final.

17.    Coordenador de PFC repassa as notas ao Coordenador de Estágios.

18.    Coordenador de Estágios encaminha nota final ao DAE e arquiva a Monografia e avaliações.

19.    A partir deste momento o PFC fica oficialmente terminado.

 

Qualquer problema ou dúvidas referentes ao Moodle deve-se contatar o Prof. Hector Silveira (hector@das.ufsc.br).

 

Observações:

­       Casos que envolvam questões de sigilo de conteúdo na monografia devem ser acordados entre os dois orientadores, mas que fique num nível suficientemente “aberto” para que se possa avaliá-lo. Por vezes, uma forma fácil de contornar ou minimizar o problema é, na monografia, usar números “fake” ou genéricos nos exemplos ou dados, utilizar pseudocódigos no lugar dos códigos de programação, ou mesmo não divulgar as unidades corretas usadas, chamando-se simplesmente de “unidades de xxx”. Já na apresentação / defesa, então se pode falar mais dos dados reais, mas sem o risco deles estarem oficialmente impressos. Outra possibilidade que existe é da monografia conter dados considerados sigilosos pela empresa e, em comum acordo com o Coordenador de PFC, fazer com que a monografia não fique publicamente disponível, mas acessível sob pedido e apenas para consulta local, no próprio DAS.

­       No caso onde a programação em si for o foco do PFC, pede-se que o aluno ponha os algoritmos envolvidos (em pseudocódigo), de forma a que os avaliadores possam analisá-los, sem ter que saber a sintaxe da linguagem de programação utilizada.

­       Eventuais correções ou melhorias sugeridas pela banca na monografia podem ser efetuadas a critério do aluno e do seu orientador, em nada afetando a nota atribuída. Considera-se que o próprio aluno terá interesse em ter como versão final a melhor possível, dado que outros alunos no futuro a acessarão.

 

 

SOBRE PRAZOS PARA ENTREGA DA MONOGRAFIA & FIM DO PFC

As cópias da Monografia (tanto a digital quanto as impressas – ver passo 9, “O que entregar ao final”) devem ser enviadas ao Coordenador de PFC seguindo-se estrita e obrigatoriamente os prazos descritos na página da disciplina no Moodle.

 

Os alunos formandos aprovados no PFC deverão cancelar/interromper o contrato de estágio no SIARE caso a data oficial de final do estágio (descrita no SIARE) seja posterior a da colação de grau. Sem isso o aluno não pode se formar, pois o sistema entenderá que o aluno ainda tem vínculo com a UFSC. Isso não será necessário apenas se o prazo entre a colação e a data final oficial de término for menor ou igual a uma (1) semana.

 

Caso o aluno verifique que não terá condições de defender o PFC, é necessário que ele notifique com alguma antecedência o professor orientador da UFSC dos motivos que ocasionaram esse atraso e este, por conseguinte, envie um e-mail ao Coordenador de Estágios alegando estar ciente da situação do aluno. Com isso, o aluno ficará com conceito “I” (ver abaixo).

 

 

CONCEITO “I”

Caso o aluno já tenha “I” no PFC referente ao semestre anterior, ele terá que ser reprovado, pois não é possível ter dois conceitos “I” consecutivos.

 

O conceito “I” (ou nova nota, no caso de reprovação) só é modificado a partir do momento que o aluno realizar o seu PFC, seguir todos os trâmites indicados no Moodle e, por fim, defender o PFC.

 

Para os alunos que obtiveram conceito “I” na disciplina de PFC e desejarem finalizá-lo no semestre seguinte sem cursar outras disciplinas (pois já teria cursado todas as demais disciplinas do curso), ele verificará que sua matrícula será automaticamente realizada pelo DAE, na disciplina “ZZ050 – Semestre para complementação de conceito I”, com zero horas aula (H/A). Portanto, o aluno não precisa fazer nada senão prosseguir no desenvolvimento do seu PFC. Esta matrícula, no entanto, só aparecerá no sistema depois de terminada a etapa de ajuste excepcional de matrículas.

 

Já no caso do aluno com “I” em PFC ter ainda disciplinas por cumprir, mas estiver fora do Brasil ou de Florianópolis, ele poderá se dedicar integralmente ao PFC. Porém, precisará notificar com a maior antecedência possível o Coordenador do Curso, esclarecendo a situação e solicitando um aval para tal. Isso porque, legalmente, o aluno tem que simultaneamente cursar outras disciplinas no semestre para que fique com no mínimo 14 H/A matriculados; do contrário, é caraterizado abandono de curso. E não se pode trancar a disciplina porque, de acordo com a resolução normativa 14/CUn/2011 Art.9, um dos requisitos para a realização de estágio (no caso, aqui, do PFC) é a comprovação de matrícula e frequência regular do aluno no curso, podendo até ser desligado do estágio quando verificado essa interrupção (Art.11). De qualquer forma, para se evitar essa situação de desligamento do curso, o aluno tem a matrícula automaticamente realizada pelo DAE, na disciplina “ZZ050 – Semestre para complementação de conceito I”, com zero horas aula (H/A), que igualmente como no caso anterior, só aparecerá no sistema depois de terminada a etapa de ajuste excepcional de matrículas.

 

 

CANCELAMENTO / INTERRUPÇÃO DO PFC

Por variadas razões um aluno pode desejar interromper o PFC. Quando isso ocorrer:

- SE AINDA SEM TCE EMITIDO

1-    Se cancelamento for até antes do prazo de ajuste de matrícula, basta o aluno requerer o cancelamento, preenchendo formulário próprio na secretaria do ECA.

2-    Se cancelamento for depois do prazo de ajuste de matrícula, o aluno ficará com zero na disciplina.

3-    Em casos excepcionais, o Coordenador do Curso pode requerer ao DAE o cancelamento da matrícula após o prazo da rematrícula, e assim o aluno não ficar com zero. Este requerimento deve ser feito via DAE, que posteriormente encaminha à Coordenação do Curso.

 

- SE JÁ COM TCE EMITIDO

Por se tratar de um estágio formal, é muito importante que o aluno converse com o supervisor no local de estágio e com o professor orientador envolvidos (o da empresa e o do DAS) e o Coordenador de Estágios antes da efetivação do cancelamento.

 

Assumindo o aval acima, além dos 3 passos anteriores:

4-    Antes do aluno entrar no SIARE e preencher o cancelamento de registro de estágio, este deve dar ciência (pessoalmente ou por email) ao professor orientador da UFSC, da empresa e ao Coordenador de Curso. Para que posteriormente o Coordenador de Estágios homologue o pedido de cancelamento, este deverá receber um comunicado simples dos dois orientadores de que estão cientes da situação. Este comunicado pode ser por email ou através de um documento oficial da empresa (um termo de rescisão de lá, por exemplo). No caso da empresa, o supervisor (ou o departamento responsável ou o setor de RH) deve ainda confirmar o número de horas efetivamente realizadas pelo aluno até então no estágio.

5-    Aluno entra no sistema SIARE e preenche o cancelamento de registro de estágio.

6-      Aguardar homologação do pedido pelo coordenador de estágios (aluno recebe e-mail automático após ser aprovado). Aluno imprime TRE (Termo de Rescisão de Estágio), providencia as assinaturas do supervisor no local de estágio e do professor orientador e, por último, entrega uma via à coordenadoria de estágio. Caso o aluno, o supervisor ou o professor orientador também desejem uma cópia do documento, o aluno deverá imprimir o número de vias correspondente

7-      Coordenador de Estágios arquiva TRE e interrompe oficialmente o estágio, via SIARE.

 

 

PRORROGAÇÃO DO PFC

Por variadas razões um aluno pode desejar prolongar o PFC, além do período inicialmente previsto. Quando isso ocorrer, o aluno deve terminar o atual estágio normalmente, e somente após o seu término oficial (data que consta no TCE) que:

1- O aluno providencia um novo TCE, fazendo as mesmas ações a partir do passo 4 do item “como proceder”.

Observações:

-       Sugere-se que isso seja feito apenas no caso de uma prorrogação considerada significativa, como por exemplo maior do que um (1) mês ou prazo que o impossibilite de defender seu PFC no semestre associado, desde que com a anuência prévia do professor orientador na UFSC e do Coordenador de Estágios.

-       Aluno deve informar o Coordenador de Estágios do fato, tendo como consequência a atribuição de Conceito “I” ao aluno na disciplina DAS5511 no semestre em questão e a não defesa do PFC junto com a turma do referido semestre. Relembrar que não é possível ter 2 conceitos “I” consecutivos numa mesma disciplina.

 

 

ALTERAÇÕES DE INFORMAÇÕES DO PFC

Ao longo da realização do PFC, as seguintes situações podem ocorrer:

 i.     Alteração do valor financeiro da bolsa de estágio.

ii.     Alteração do plano de atividades de estágio.

iii.     Alteração da empresa seguradora, CNPJ e o número da apólice.

iv.     Alteração do nome do professor orientador.

v.     Alteração do nome do supervisor de estágio.

 

Quando isso ocorrer, e para que essas alterações tenham valor legal, o aluno deve oficializar isso através de um Termo Aditivo:

1-   Preencher o Termo Aditivo de TCE (http://portal.estagios.ufsc.br/estagio/formularios/).

2-   Imprimir 4 vias e pegar as devidas assinaturas.

3-   Encaminhar 1 via do Termo Aditivo ao Coordenador de Estágios, 1 outra à empresa, 1 ao professor orientador na UFSC, e ficar com 1 via para si.

4-   Coordenador de Estágios anexa Termo Aditivo ao TCE original, previamente impresso e arquivado.

 

Observação:

Com relação ao subitens i e ii, sugere-se que seja feito o Termo Aditivo apenas no caso de alterações consideradas significativas. Na dúvida, aluno deve consultar a Coordenação de Estágios (secretariaestagio@das.ufsc.br).

 

Em situações de alteração na carga horária do estágio, o aluno deverá primeiramente efetuar a rescisão do estágio atual (vide tópico CANCELAMENTO / INTERRUPÇÃO DO ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO) e, em seguida, providenciar um novo TCE com a nova carga horária.

 

 

ENDEREÇO PARA ENVIO DE DOCUMENTOS REFERENTES A ESTÁGIOS & PFCs

Para: Prof. Ricardo J. Rabelo

UFSC / CTC / DAS

Coordenadoria de Estágios do DAS

Florianópolis – SC

Caixa Postal: 476

CEP: 88040-900

 

Telefone: (+ 48) 3721-7676/ 3721-7600

Email: rabelo@das.ufsc.br e secretariaestagio@das.ufsc.br

 

 

Em 01/07/2013

 

Prof. Ricardo J. Rabelo

Coordenador de Estágios, Intercâmbios e PFCs do DAS/ECA